Não há música com meu nome, há eu...

Torcendo tanto para chegarem os sentimentos certeiros, aqueles que te fazem se sentir predestinada. Aqueles que chegam com a certeza da força que acompanha a flecha lançada pelo cupido, o enviado. Os sentimentos certos. Os mais fáceis, talvez. Os que me guiem para um caminho sem volta. Os que tragam sentido, certeza, sensações.

Torcendo o nariz para a superficialidade, sem se dar conta de já estar imersa na superfície de tudo e de todos… Mas como pode? Eu não sou profundidade? Eu sou mar.

E estou sofrendo do exagero de pensar, de viver sem ter certeza, sem ter acerto. Sofrendo, pensando, sofrendo… Olhos grandes e sempre abertos. Coração aberto, mas fechando.

O sentimento está torcendo por outro amor longe de mim. Está tão profundo em outro alguém que eu não posso chegar.

Torcendo pro cupido trazer para fundo de mim algo que talvez eu já tenha. Assim, deixando de torcer, de sofrer, de sofrer de pensar… Começando a a-mar profundamente aqueles sentimentos.

Sep 14

São tempos difíceis para os sonhadores, para os apaixonados e para os que não amam. Mesmo que os últimos fins de tarde de julho sejam rosas… Ainda assim, são tempos difíceis. Mesmo que sempre haja música e pássaros e um novo recomeço. São loucos tempos difíceis que passam e deixam para trás os recados, as fotos, as lembranças e que não voltam, se, por acaso, você tenha perdido um episódio ou sinta saudade de um capítulo. Mas olha lá a vida, olha o sorriso das crianças, o ânimo dos cães, olha o vinil ainda na vitrola e mantenha olhos atentos, coração esperançoso… Porque são difíceis os tempos que virão. Mas ora, se é tempo minha bagagem, por que tanta aflição? Por que não pegar o próximo ônibus pra lugar nenhum? Por que não viajar para mais tarde? Por que não sorrir para a dificuldade? Espero que o tempo não se afaste, que não ande sem meu passo, que me aguarde, que me dê passe. Sou difícil assim também. E o mais difícil desse tempo todo passar é sair sem me levar. É passar e não aguentar. Chama o vento, põe a cara, carrega o tempo. Mesmo que seja difícil. A vida é essa. E nela, os tempos que são difíceis, são os que sempre carregamos, mesmo que não caibam dentro da gente.

Jul 28
Tempos difíceis

"Não enxergar a profundidade do outro pode ter mais a ver com a minha superficialidade, com a minha incapacidade de enxergar além do que minhas referências me permitem, do que com a capacidade do outro em ser profundo."

Jun 14

Minha admiração aos que acreditam em pequenas “coisas”… Essas “coisas”, as simples e singelas. Admiro quem consegue transformar aquilo em que acredita em algo grandioso. Para viver, acreditar é preciso. Acredite em um amigo, em uma ideia, no amor, no que eu disse e no que eu não disse. Acredite, mesmo duvidando. Acredite em você!

May 20
Acreditar

Já era tempo de se sentir preparada para escrever… De sentir, pelo menos num breve momento, que talvez fosse melhor se conformar e parar de sentir todo aquele sentimento desenfreado. É.. Essa segunda-feira atípica. Tenho que dizer que ainda penso que vai voltar, que vai sentir minha falta. Penso: “Estará sentindo minha falta?”. Sinto… E o difícil é viver com a companhia de alguém que só vive do nosso lado, se existe dentro da gente. Dentro da cabeça. Dentro de um texto. Queria só escrever, mas é também difícil explicar.

May 19
Dentro

A sensação de ouvir de novo. De tocar de novo. De… sentir de novo. As nossas muitas vezes, todas elas estão guardadas numa parte bastante acessível da memória. 

É paixão, é garganta fechando, são as vistas escurecendo… Estômago revirando. Vontade de vomitar um mar de palavras carregadas de muita revolta. Tolo! 

De todas as perguntas, a única que vale à pena ser feita: porque não foi simples? Calma aí, mais uma pergunta: porque não é simples? 

Desculpa se eu gritei em silêncio uma vontade de te roubar e te sequestrar e de me fazer feliz ao teu lado. Corri o risco de uma paixão, paixão por gente que não sabe o que é se apaixonar… 

Besteira! Besteira sou eu aqui e você aí com todo esse orgulho de merda… Essa cara amassada. Esse cara amarrotado. É te odiando que me afundo… em mais sentimento. Me afogo nesse mar e tem sol forte, pra gastar a pele e queimar o juízo. 

Quer saber? Eu também escrevo! Eu também acho que a felicidade é a gente quem constrói. Eu tenho maturidade. Tenho cara para levar tapa da vida. Estou caindo de novo e só. Estou sentindo de novo. Caindo, mas nada mais que isso. 

Preservei tua liberdade de me escolher. Eu fui escolhida… Nostalgia. 

Foda-se. Nada mais importa. Vou sentir de novo com outro… Coração bandido, eu espero ter paciência e ouvido atento. Espero agarrar com olhos e mãos fortes o sentimento certo. O amor certo. 

Esquecendo o que não está comigo. O que não quero reviver. O que não quero sentir de novo. 

Enfim, é tudo isso junto. Desculpa a contradição.

Apr 20
De novo

"Amor é uma mistura de “me deixa em paz” com “volta aqui, fica mais um pouco”."

- Los Hermanos.  (via prestigiador)

(Source: latejado, via prestigiador)

Apr 6

Bem difícil descrever como me sinto agora, como se tudo que foi vivido antes não tivesse nenhuma importância, como se só o hoje fosse uma preocupação. Eu nunca fui assim imediatista e tudo que venho fazendo sem pensar me parece certo. Tudo que venho fazendo por você tá sendo guardado e vem preenchendo todo o espaço na mente durante as noites sem sono. Num dia, as coisas passaram a ter sentido, passei a ter certeza do que eu queria. Saber o que quero não é uma missão das mais fáceis. Predestinada em pouco tempo…
É, paixão é como se ver inflada, paixão é expansão. Se por no outro, mergulhar, ou melhor, se jogar no precipício que tudo representa, no precipício que a vida é para os apaixonados. Apaixonada é a palavra e, se agora há pouco não sabia como descrever o que sinto, me veio à mente minha própria imagem segurando algo com todas as forças sem querer soltar. É só isso que vem importando.
Venho pensando muito e não tenho pensado em nada. Não há conclusões, há contradição entre ter certeza do que quero e ter medo do mar de sentimentos que sinto. Ter medo do impacto que tudo isso pode estar causando. Medo de viver, pois nunca vivi assim. Assim… mudada. Talvez o medo seja só insegurança, pois aposto que depois de você não serei mais a mesma… Medo e ansiedade por não saber mais quem sou eu, por não me ver longe de você. Medo dessas potencialidades, medo de me sentir dessa forma como somente eu consigo me sentir, voltando assim a ser eu mesma. A tua bagunça em mim faz com que eu me encontre na forma mais primitiva de mim mesma. Faz com que eu não me reconheça dentro do meu próprio ser.
Eu sou apaixonada e antes isso não podia estar evidente, hoje isso me faz mais feliz. Me faz acreditar que posso ser mais, que um futuro diferente me espera, me espera enquanto vivo o agora… Vivo, não penso tanto e sinto demais. É a paixão, afinal de contas, o que sinto, o que sou.

Feb 15
Paixão
Feb 9

urhajos:

Tattooed Vegetables Do It Better

Tão parecidos e tão diferentes. Tão juntos e tão afastados… A coragem chegou atrasada pra janta. A racionalidade teve de viajar sem data pra voltar. O que faz sentido agora? O que falar? Quantas desculpas serão necessárias? A gente atravessou um caminho sem volta.

Nov 14

Um amor que more perto. Que me abrace a cintura, que me beije o pescoço. Um amor que more bem perto. Que encante uns velhos tios e que cante. Um amor bem perto. Com cheiro de casa, com colo gigante. Amor perto, amando bizarrices e meus olhos. Perto e longe, me matando de saudade, me despertando. Direi: “Amor, more no meu quarto”. Quero que seja meu travesseiro. Que ponha sua língua aqui em mim. Bem perto, tão perto… Amor vizinho. Vem ouvir uns sussurros, vem falar. Falar baixinho um desejo: “Perto quero que você more.” Tão perto, entre pernas, me namore. Comprei uma briga e uma mala, pra construir nossa morada. E se longe você estiver, prometo te buscar… Prometo te olhar, te enxergar e cuidar do nosso jardim. Sim, um amor que eu ame e que me ame. Que eu não suporte estar longe. Um amor dentro da minha casa, da minha vida, da minha história. Esse amor, um alguém, pouca distância: feliz estarei. 

Nov 8
Perto

Hoje é um dia diferente… Não, eu não sai de casa. Fui acordada de um pesadelo que durou três dias. A vida vem me testando. Até onde tudo pode ir? Até onde posso aguentar? Bem, eu não quero saber… Quero não ter que pensar em não aturar. Quero simplesmente passar por tudo isso sem pensar em ter atitudes extremas. O fato é que hoje um gesto inesperado me fez levantar, me fez abrir os olhos e eu tenho que certeza que não quero esquecer esse momento nunca mais. Viverei para vivenciar o dia em que poderei agradecer por sua simplicidade e por ter sua bondade como inspiração. Você é a pessoa mais íntegra que eu conheço, sem sombra de dúvidas. Sua existência é um dos melhores presentes que pude receber. 

Oct 13

Mudanças: mudei. Elas são assim. Tudo é assim, ou quase tudo. Sol raiando, horário de verão vem aí. Domingo vem aí, domingo já está aqui. Não vou perder meu tempo jurando que vai durar pra sempre. Eu não vou durar pra sempre e, olha, já acreditei nisso e… Mudei! Venho mudando e só queria ter onde encostar minha cabeça quando tudo for demais. Porque não quero ter noção de que os tempos já são outros. Quero me recostar, quero não lidar com isso. Bom seria acordar sem ter que esperar que as coisas mudem (quem diria?), embora esteja sendo difícil ir dormir com o peso de que tudo mudou e não foi pra melhor. Vida, seria bom não ter certas noções, já que no fim das contas é sempre o “embora”, é sempre o “difícil” que não muda… A mudança é aquele cunhado que é não bem-vindo, mas ela também sabe aparecer e oferecer colo de mãe. Ora, se as coisas estivessem eternamente boas, nós não precisaríamos dessa tal de mudança. Maior balela a ideia de que precisamos mudar, que precisamos nos renovar para não enjoar das situações, pra crescer. Te digo que poderia viver uma história de 10000 anos e se tudo estivesse bom, dispensaria a mudança. Não quero crescer, ter filhos, família, diploma, ser exemplo, ser entrevistada pelo Jó, ser simpática, ser velhinha que cozinha bons quitudes… Quero estar bem, sem precisar mudar nada, sem precisar de colo, sem precisar ter noção disso e daquilo, sem precisar ter que mudar de cidade pelos negócios, sem precisar alguém para ter filhos e chamar de marido. Quero estar bem… sem precisar. Ser o bem sem contra-indicações. As pessoas deveriam receber o bem, sem interpretar que esse recebimento é uma mudança. O bem viria de berço e insistiria em nos acompanhar sempre. Seria uma regra? Sim, uma das poucas permitida… Mas a vida não é assim, nem de longe. Os tempos são outros e já rejeitamos essa possibilidade. Estamos mudando, esquecendo o que efetivamente deveria importar. Estamos lutando pelo nosso bem, mas ele não esteve, não está e não estará presente… E isso vendo sendo difícil de mudar.

Oct 13
Bem

Choveu granizo há uma semana na cidade ensolarada. Uma tempestade, gotas gritando sob as superfícies. Eu ali vendo tudo, sem enxergar, sob a ferocidade e em silêncio. Minha vida está assim. Tudo acontece em minha volta, mas estou em câmera lenta. Os estímulos são diversos, mas os sentidos foram bloqueados. Só quero fechar os olhos. Já diria uma certa música, assim é mais fácil. Assim o mundo é meu, assim nada me atinge, assim só perco gotas suaves sob a minha própria superfície… De fora já tudo recebi, já tudo que importa guardei. Estou construindo aqui em mim um dia de sol, onde tudo é caloroso, estou cultivando nesse ambiente meio vazio o pouco amor que roubei dai de fora. Pode vir chuva forte, pode vir tempestade. Eu aprendi a bloquear, eu aprendi a amortecer. Dentro de mim só entra mais de mim, amor.

Oct 11
De olhos fechados